Acerca de mim

A minha foto
Maia, Porto, Portugal
Praça Dr. José Vieira de Carvalho, 45 - 2º Esq./Traseiras, "Edifício Lidador" 4470 - 202 MAIA (frente à Câmara Municipal da Maia).

QUEM SOMOS?

QUEM SOMOS?

O Grupo de Estudos Espíritas Nova Sagres é uma Associação constituída por pessoas da Maia e arredores, que se interessam pelo estudo, divulgação e a prática da Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec.

Nosso Objectivo:

NOSSO OBJECTIVO:

Contribuir, através do estudo e divulgação do Espiritismo, para que todos os habitantes deste nosso planeta Terra encontremos a razão da nossa existência.
De onde vimos, para onde vamos e porque estamos aqui hoje!
Porque é assim a nossa vida! O que poderemos fazer para a melhorar!

Horário

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

> Segunda-feira: (Público)

19:00 às 20:45 - Atendimento Fraterno.
21:00 às 22:30 - Estudo Básico da Doutrina Espírita.

Nota: Na 1.ª Segunda-feira de cada mês, o Estudo será substituído pela exibição de um Filme ou Documentário de caracter Espiritualista.

> Terça-feira - Encerrado.

> Quarta-feira: (Público)
19:00 às 20:45 - Atendimento Fraterno.
21:00 - Exposição Espírita (Palestra) seguida de Passe.

> Quinta- feira: (Privado)
21:00 às 22:30 - Estudo Avançado.

> Sexta-feira: (Privado)
20:50 às 22:30 - Reunião de Trabalhadores.

> Sábado e Domingo - Encerrado.

> Atendimento por marcação - (fora do horário normal de atendimento)
Diamantino Cruz - Telem. 96 984 29 29





Contactos

CONTACTOS:

E-mail: gee.nova.sagres@gmail.com

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Perdão das Ofensas



Quantas vezes perdoarei ao meu irmão? Perdoá-lo-eis, não sete vezes, mas setenta vezes sete. Eis um desses ensinos de Jesus que devem calar em vossa inteligência e falar bem alto ao vosso coração. Comparai essas palavras misericordiosas com a oração tão simples, tão resumida, e ao mesmo tempo tão grande nas suas aspirações, que Jesus ensinou aos discípulos, e encontrareis sempre o mesmo pensamento. Jesus, o justo por excelência, responde a Pedro: Perdoarás, mas sem limites; perdoarás cada ofensa, tantas vezes quantas ela vos for feita; ensinarás a teus irmãos esse esquecimento de si mesmo, que nos torna invulneráveis às agressões, aos maus tratos e às injúrias, serás doce e humilde de coração, não medindo jamais a mansuetude; e farás, enfim, para os outros, o que desejas que o Pai celeste faça por ti. Não tem Ele de te perdoar sempre, e acaso conta o número de vezes que o seu perdão vem apagar as tuas faltas?

            Ouvi, pois essa resposta de Jesus, e como Pedro, aplicai-a a vós mesmos. Perdoai, usai a indulgência, sede caridosos, generosos, e até mesmo pródigos no vosso amor. Daí, porque o Senhor vos dará; abaixai-vos, que o Senhor vos levantará; humilhai-vos, que o Senhor vos fará sentar à sua direita.

            Ide, meus bem-amados, estudai e comentai essas palavras que vos dirijo, da parte daquele que, do alto dos esplendores celestes, tem sempre os olhos voltados para vós, e continua com amor a tarefa ingrata que começou há dezoito séculos. Perdoai, pois, os vossos irmãos, como tendes necessidade de ser perdoados. Se os seus atos vos prejudicaram pessoalmente, eis um motivo a mais para serdes indulgentes, porque o mérito do perdão é proporcional à gravidade do mal, e não haveria nenhum em passar por alto os erros de vossos irmãos, se estes apenas vos incomodassem de leve.

            Espíritas, não vos olvideis de que, tanto em palavras como em atos, o perdão das injúrias nunca deve reduzir-se a uma expressão vazia. Se vos dizeis espíritas, sede-o de fato: esquecei o mal que vos tenham feito, e pensai apenas numa coisa: no bem que possais fazer. Aquele que entrou nesse caminho não deve afastar-se dele, nem mesmo em pensamento, pois sois responsáveis pelos vossos pensamentos, que Deus conhece. Fazei, pois, que eles sejam desprovidos de qualquer sentimento de rancor. Deus sabe o que existe no fundo do coração de cada um. Feliz aquele que pode dizer cada noite, ao dormir: Nada tenho contra o meu próximo.

Simeão, Bordeaux 1862 (Evang. Seg. Espiritismo).

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Corolário do Amor


LXXII  PÁGINA


Diz-se que o amor divino é uma inesgotável fonte que alimenta tudo quanto tem criado. E nós sentimos que é assim, porque, tanto o homem como a Natureza – criação primária do mundo físico – é uma contínua manifestação do sublime amor do Criador.
E é aí, nesse grandioso Amor, que estão firmados todos os alicerces das humanidades que já passaram, daquelas que habitam outros mundos e daquela humanidade pela qual nós lutamos, que é a humanidade terrena. E há uma razão forte, meu filho, para nós lutarmos por essa humanidade: É que sentimos a derrocada eminente que está sobre ela. Derrocada que é fruto dos seus próprios actos. Derrocada que a fará renascer de novo, que a fará recomeçar, que a fará ter desejos mais elevados, que a fará recolher-se a si própria para aprender.
E porque os anos que vós contais são para nós fugazes minutos, apressamo-nos a trazer todo o nosso trabalho, nesta cooperação fraterna para que, entrelaçados uns com os outros, ainda salvemos dessa derrocada alguns dos nossos irmãos.
E tu que ponderas já sobre tudo quanto te escrevo e que meditas em cada página que lês, olha com amor essa humanidade e vê em que lhe podes ser útil. Mas, não te esqueças que dessa humanidade tu fazes parte. E, só quando tu fores manancial de Amor, essa manifestação contínua de amor pelo próximo, só nessa altura, tu estarás apto para esse trabalho.
Mas nós confiamos. Confiamos porque sabemos que depois de um terreno cultivado, ele está apto a dar o seu fruto e se tu estás apto a dar o fruto, então, não o negues àqueles que sofrem. É tudo rápido, meu filho. Tudo muito rápido!...
Não para ti, que ainda contas os dias e as noites, mas, se pudesses ver como nós, se pudesses ler como nós… Então seria para ti um tormento maior.
Assim vais nos teus dias, mais normalmente nas tuas horas… Mas, assim mesmo, não descanses, meu filho, não descanses!...


"Corolário do Amor" Este é o título de um livro ditado por uma mãe, já no mundo espiritual, a um filho do coração ainda aprisionado num corpo carnal. Transcrevemos apenas uma página que, tal como as restantes, podem ser dirigidas a cada um de nós.

domingo, 5 de fevereiro de 2012