Acerca de mim

A minha foto
Maia, Porto, Portugal
Praça Dr. José Vieira de Carvalho, 45 - 2º Esq./Traseiras, "Edifício Lidador" 4470 - 202 MAIA (frente à Câmara Municipal da Maia).

QUEM SOMOS?

QUEM SOMOS?

O Grupo de Estudos Espíritas Nova Sagres é uma Associação constituída por pessoas da Maia e arredores, que se interessam pelo estudo, divulgação e a prática da Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec.

Nosso Objectivo:

NOSSO OBJECTIVO:

Contribuir, através do estudo e divulgação do Espiritismo, para que todos os habitantes deste nosso planeta Terra encontremos a razão da nossa existência.
De onde vimos, para onde vamos e porque estamos aqui hoje!
Porque é assim a nossa vida! O que poderemos fazer para a melhorar!

Horário

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

> Segunda-feira: (Público)

19:00 às 20:45 - Atendimento Fraterno.
21:00 às 22:30 - Estudo Básico da Doutrina Espírita.

Nota: Na 1.ª Segunda-feira de cada mês, o Estudo será substituído pela exibição de um Filme ou Documentário de caracter Espiritualista.

> Terça-feira - Encerrado.

> Quarta-feira: (Público)
19:00 às 20:45 - Atendimento Fraterno.
21:00 - Exposição Espírita (Palestra) seguida de Passe.

> Quinta- feira: (Privado)
21:00 às 22:30 - Estudo Avançado.

> Sexta-feira: (Privado)
20:50 às 22:30 - Reunião de Trabalhadores.

> Sábado e Domingo - Encerrado.

> Atendimento por marcação - (fora do horário normal de atendimento)
Diamantino Cruz - Telem. 96 984 29 29





Contactos

CONTACTOS:

E-mail: gee.nova.sagres@gmail.com

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Pensamento do Dia














O Livre-Arbítrio

Quem ainda não ouviu famosas frases tais como: "... foi o destino", "... estava escrito", "... tinha que passar por isto", etc e tal.
E fala-se tanto assim quanto ao sucesso, como quanto aos fracassos pessoais. Mas, a experiência e a vida tem-nos mostrado que, afastadas aquelas situações de Karma, o nosso Deus presenteou-nos com a capacidade de podermos fazer escolhas, dirigirmos os nossos caminhos e, é evidente, assumirmos as responsabilidades por tais escolhas quanto aos seus efeitos.


Escolhemos os nossos parceiros, as nossas moradas, escola, emprego, escolhemos empunhar uma arma e matar, escolhemos com quem queremos casar, escolhemos se queremos viver num bar a beber a vida inteira, ou cuidar das nossas famílias, escolhemos a vida que queremos viver, mas, dotados do pensamento, vontade e razão que possibilitam a aquisição de conhecimentos bons e/ou maus, e, um corpo que absorverá os seus resultados.


O Livre-arbítrio é o factor decisivo para a nossa felicidade ou para a nossa tristeza aqui ou além.
Muitos de nós já ouvimos dizer: " Ah se eu pudesse voltar atrás no tempo, não faria isto ou aquilo", "eu teria evitado isto", "pena que não tenho mais tempo para reparar os erros" ...
Mas meus amigos e amigas, sempre haverá tempo para correcção de rotas e destinos.

Sempre haverá tempo para reparação de danos.
Sempre haverá a ETERNIDADE presente, pois o espírito jamais morre, é indestrutível, pode sim modificar-se conforme as suas obras, os seus pensamentos aliados à vontade, afinidade e sintonia, frutos das suas escolhas aqui e, posteriormente daquelas que fizer do lado de lá, com certeza.

Quem de nós ainda não prestou especial atenção aos rostos dos irmãos, os nossos semelhantes, conforme a vida que cada um deles leva, diariamente. Bons e maus pensamentos provocam mudanças no nosso rosto, na pele, no nosso organismo, no modo de andar, no de agir, de nos relacionarmos socialmente, atraindo pessoas e coisas que nos identificam como sendo do bem ou do mal.

No plano espiritual formam-se anjos de bondade e monstros da crueldade, até que haja a conscientização de suas existências como fruto das suas obras.
Enfim, somos aquilo que pensamos e desejamos no dia-a-dia, numa frequência repetitiva.


Leiamos "O Abismo" de R. A. Ranieri" e "Missionários da Luz" de Chico Xavier.



"Sem o livre-arbitrio, o homem não teria nem culpa por praticar o mal, nem mérito em praticar o bem, e isto a tal ponto está reconhecido que, no mundo, a censura ou o elogio são feitos à intenção, isto é, à vontade.
Ora, quem diz vontade diz liberdade.
Nenhuma desculpa poderá, portanto, o homem buscar, para os seus delitos, na sua organização física, sem abdicar da razão e da sua condição de ser humano, para se equiparar ao bruto." (1)

1) KARDEC, Allan - O Livro dos Espíritos. 90ªed. Brasília: Federação Espírita Brasileira, 2007. ISBN 978-85-7328-086-9. p. 448.